Post Top Ad

8 de março de 2017

11:48

8 de Março - A Rosa cinza.


Abri a janela e me sentei para começar a escrever. Enquanto fiquei um tempo olhando para uma tela em branco com a mente fervilhante antes de começar, alguém tentou chamar minha atenção: o famoso fiu-fiu!


Eu estava dentro do meu quarto, escrevendo em silêncio, e esse som invadiu o apartamento. O vizinho do bloco ao lado achou que estava tudo bem mexer comigo tarde da noite, afinal, somos vizinhos, não tem nada demais.

Nossa, que vaca! Reclamando por alguém tê-la admirado, não é mesmo?


Pera! Mas ninguém me deu essa escolha! Eu estava em casa, de jeans, camiseta rasgada e pés sujos na cama.

Percebe? A gente não tem escolha. Hoje, com ou sem mimimi, não é um dia de "parabenizar por ser mulher”. É dia de lembrar a sociedade que somos pessoas. Dá pra acreditar que isso ainda seja necessário?


Diariamente nos esquecemos das formas pelas quais a mulher é vista e tratada em nossa sociedade, embora reafirmem corriqueiramente o suposto “lugar” da mulher, carregado de estereótipos e rótulos.

“Se ela tem mais livros do que sapatos, case-se com ela.”

‘Toda mulher é feminista até o garçom trazer a conta.”

“Com essa roupa queria o quê?

E com todo esse machismo que se esconde atrás do humor, minha resposta seria:

“Falou tanta merda, senti pena.”



Meu exemplo não pareceu invasivo pra você? Mas é a partir de pequenos gestos -julgados normais- que surgem tantos casos de violência doméstica, assédio no trabalho, aborto isso ou aquilo, para chegar em um dia como hoje e vermos tantas pessoas distribuindo rosas.

Para nós, hoje é um dia cinza, que tentam disfarçar no tom das rosas, mas que volta a escurecer amanhã encoberto de nuvens novamente. Não adianta um dia como esse se amanhã quiserem enquadrar todas as mulheres em padrões de corpos, de cabelos, de comportamento e até profissão.


A gente sabe que a desconstrução social é um caminho longo que precisa ser andado diariamente.
Então chama aquele tio que faz a piada no almoço de família de canto pra conversar, avisa o amiguinho que ele não pode tratar a irmã desse jeito, faz o filho lavar a louça também. Parece coisa pouca, não é mesmo? E é! São coisas tão pequenas que estão alimentando toda uma cultura machista. Cultura que mata! Aqui, a gente não comemora, não enquanto o Brasil estiver entre os primeiros países no ranking com maior número de homicídios femininos.

A gente só quer andar livremente e sem medo por aí. Mas quando a gente assume uma postura diferente desses padrões impostos, somos chamadas de tantos nomes que julgam pejorativos.

21 de fevereiro de 2017

21:04

Quer fugir do carnaval?



Sabendo que muitos não querem curtir o Carnaval em meio à folia, o AqueleMato te traz muito verde, em locais para quem quer passar o feriado longe do barulho e curtir belas paisagens, cachoeiras ou se aventurar por novas trilhas. Disponibilizamos alguns locais que possuem tanto apartamentos como área de camping para todos os gostos.

 Sitio Passarim - Ecoturismo e Bio-Construções


É um ótimo lugar para quem procura um momento de descanso nesse feriado, aproveitando para passar um tempo agradável em meio à natureza e desfrutar de cachoeiras.

Toca Do Ouriço Ecoaventura

A Toca do Ouriço fica para quem está mais à procura de aventura e diversão, já que o local dispõe de atividades como arvorismo, bóia cross, cavalgada, escalada, tirolesa e esportes radicais para quem quiser se aventurar no rapel, cascading e rafting. E todos os passeios ainda possibilitam vislumbrar as belezas nativas.

Outra opção para quem busca sossego e contato com a natureza, o Refúgio Canaã recebe vários animais silvestres em meio à mata atlântica ainda preservada. O local ainda dispõe de algumas trilhas para quem se arrisca a adentrar a floresta.


E então? Que tal aproveitar a sorte de termos tantas possibilidades de vivenciar esses momentos com a natureza e descobrir novos lugares para acampar ou praticar esportes? Encha a mochila de aventuras e divirta-se!

9 de fevereiro de 2017

13:12

Capivara Raiz X Pitbull Nutella


Que os animais fazem de tudo para defender seus filhotes, todo mundo sabe. Agora, um caso raro aconteceu em Três Lagoas, em Mato Grosso do Sul. Um pitbull pulou o muro de sua casa e partiu em direção a uma capivara que estava com seus filhotes.

Segundo relatos, para defender suas crias, a capivara arrastou o cachorro para a lagoa e o matou.

As lagoas e parques da cidade e do estado são cheios de animais silvestres como jacarés, patos, cobras e outros, animais que possuem contato com a população diariamente, mas poucos casos são trágicos.


11 de novembro de 2016

8 de novembro de 2016

16:24

Buraco do Inferno - Forte Coimbra

 A gruta Ricardo Franco antes chamada de Buraco do Inferno se localiza no distrito de Coimbra próximo ao Forte de Coimbra, é ainda um lugar conhecido por poucos, e ainda não foi totalmente explorado, com isso o acesso a gruta só pode ser feito com a autorização e acompanhamento do exército.
Não há registro de quando a gruta foi descoberta, o único registro histórico é a escrita deixada pelo Capitão Rondon na parede da gruta.

"Capitão Rondon em visita a celebre gruta, penetrou pela primeira vez no dia 12 de Aristóteles de 115, em visita de reconhecimento para instalação das linhas telegráficas em forte Coimbra." A data se refere a 09 de março de 1903.

Hoje o Capitão é conhecido como Marechal Rondon.

Essa gruta conta com vários causos, como o de um Padre que foi explorar a caverna e desapareceu e atividades extraterrestres.
O calor no interior da gruta é muito grande e apenas 3 espécies de animais sobrevivem lá dentro gruta, são eles o Morcego, Grilo Albino e Camarões. E o que mais impressiona são as estalactites e estalagmites que encontramos em seu interior.
Esta gruta é a 5ª maior do Estado do Mato Grosso do Sul e está entre as 50 maiores do País.

É um lugar impressionante e para quem gosta de histórias como eu, vai gostar muito de conhecer.

3 de novembro de 2016

15:14

A sinistra história por trás dos postes de barbearia.

Antigamente, as barbearias não trabalhavam apenas com barbas e cabelos, esses estabelecimentos praticavam procedimentos cirúrgicos, extrações de dente e sangrias.

Os postes com listras nas cores vermelha, branca e algumas vezes azul, vistos girando nas barbarias atuais, são referência aos postes que eram utilizados naquela época.
Os clientes que chegavam às barbearias em busca da sangria eram auxiliados a se segurarem em um poste, assim o barbeiro-cirurgião começava a realizar os cortes pelo corpo. O sangue que escorria era colocado em um recipiente que ficava aos pés do paciente, e para ajudar na limpeza, os barbeiros utilizavam tecidos brancos como bandagens que, após seu uso, eram lavados e postos para secar no poste.
Assim, a base cromada representa o recipiente onde o sangue era depositado, as listras vermelhas equivalem ao sangue arterial que escorria, e as faixas brancas são referência às bandagens que eram enroladas nos postes para secar. As faixas azuis que aparecem em alguns casos indicam o sangue venoso.
Somente em 1163 baniu-se a prática desses procedimentos por barbeiros, deixando para que apenas os médicos os realizassem.

Até onde se tem notícia, os postes vistos hoje começaram a ser fabricados em 1950.




2 de novembro de 2016